Paderne

Paderne

Área : 13,56 km²

Orago : Divino Salvador

População : 1 160 habitantes (2011)

Norte:  Remoães / Espanha

Este: Cubalhão / São Paio / Prado

Sul: Cousso / Cubalhão

Oeste: Penso / Alvaredo

AmadoPresidente da Junta de Paderne

Amado Rodrigues Dias

j.f.p.melg@sapo.pt

Horário de Funcionamento:

de seg. a sexta das 18h0 às 19h00

  • Igreja de Paderne
  • Castro de Melgaço ou Castro da Cividade de Paderne
  • Convento de Paderne
  • Parque Termal do Peso
  • Ponte de Lages
  • Capela de São Tiago
  • Capela da Senhora dos Remédios
  • Alto da Tenreira
  • Capela da Longarinha

paderne-01

Melgaço_57

paderne 1

Melgaço_60paderne 2

Paderne, a mais populosa freguesia do concelho, dista três quilómetros da Vila. É composta por 39 lugares.
Confronta com Remoães, Prado e rio Minho (que separa de Espanha), a norte, S. Paio, a nascente, Cousso e Cubalhão, a sul, e Alvaredo e Penso, a poente.

Em tempos em vasto território subordinado ao Mosteiro de S. Paio, a antiga freguesia de S. Salvador de Paderne esteve ligada ao prior de Santa Cruz de Coimbra, cabido do couto de Paderne, no extinto termo de Valadares. Foi reitoria da apresentação da casa dos Caldas e, por herança, da Burjoeira.

A igreja paroquial de Paderne pertenceu a um antigo mosteiro. A sua fundação, no século XII, é atribuída a D. Paterna, viúva do conde Hermenegildo, senhor de Tui, que nestas terras possuía, entre outras propriedades e aldeias, uma grande quinta. Aqui se recolheu com suas quatro filhas e outras nobres donzelas galegas que a quiseram acompanhar.

Era, de início um convento de freiras ao qual D. Afonso Henriques concedeu couto (em 1141). No século XIII, o cenóbio passou para os cónegos regrantes de Santo Agostinho. No reinado de D. Afonso III, o convento teve como prior D. João Pires, aliado e protegido do monarca e encarregado da construção da igreja, concluída e sagrada em 1264. Nos finais do século XVI, empobrecido pelos comentários, passou, por determinação de D. Sebastião, para os crúzios de Coimbra.

Bastante alterado no decorrer dos tempos, o templo, relevante monumento românico, conserva um aspecto imponente para o qual contribui o duplo portal. Apresenta, ao lado do pórtico principal de acesso à nave, outro portal mais amplo, de feição lombarda, com três arquivoltas e seis colunelos decorados com lavores notáveis. O portal principal revela esmerada decoração fitomórfica e geométrica. O interior é muito simples, de uma só nave, baixa, largo transepto e três capelas quadrangulares na cabeceira, com uma especialidade e organização bem adaptada rural do século XIII.

A povoação tomou inicialmente o nome de Paterna, porque ao convento se dava o nome de Mosteiro da Paterna (da fundadora), vindo posteriormente a transformar-se, por corrupção, no actual Paderne.

As famosas Termas do Peso, num dos lugares da freguesia, estão situadas numa zona com muita vegetação, com um parque encantador situado em local tranquilo e repousante.
As águas, pelas suas características terapêuticas, são indicadas para tratamento de diabetes, insuficiências hepáticas, obesidade e problemas de nutrição. Aqui são também exploradas as águas minerais Melgaço.

Dicionário Enciclopédico das Freguesias: Braga, Porto, Viana do Castelo; 1º volume, pág. 423 a 439; Coordenação de Isabel Silva; Matosinhos: MINHATERRA, 1996