Estamos a construir presente e futuro para que cada vez mais possamos afirmar que viver no Alto Minho, Viver em Melgaço não é um slogan, é uma opção de vida e uma opção POR UMA VIDA COM QUALIDADE!

Se dúvidas havia, este tempo que nos foi dado viver, mostra que a tecnologia nos permite trabalhar a partir de qualquer lado sendo eficazes e eficientes como nunca. Vivemos um momento de oportunidades nos nossos territórios e cada vez mais jovens nos procuram para fazer a sua vida a partir de Melgaço o que acredito aconteça em todos os outros municípios. Somos hoje um município com o selo  “remote work ready town”.

Estamos num território com uma enorme diversidade paisagística, cultural e socioeconómica. Esta é a realidade de Melgaço, mas é expansiva a todo o Alto Minho. Um território, seja o município seja o conjunto dos municípios, que tem sabido crescer (na indústria, na agroindústria, no turismo) e criar condições de desenvolvimento. Este é um território que, em estreitíssima relação com a Galiza, terá um caminho brilhante a percorrer.

O trabalho em rede, fundado no estabelecimento de parcerias orientadas tematicamente, como o que aqui hoje estamos a vivenciar, potencia e muscula todos os processos de partilha de conhecimento e boas-práticas, posicionando de modo mais robusto os atores relevante para os grandes desafios… os decorrentes do mercado global, da sustentabilidade económica, social e ambiental, do combate e adaptação às alterações climáticas e do contributo efetivo para a preservação dos valores patrimoniais e ambientais dos nossos ecossistemas e paisagens. É neste enquadramento que num território como Melgaço é de fundamental importância a atenção prestada às relações urbano-rurais.

Os centros urbanos dependem da oferta alimentar, energética, de matérias-primas e de serviços de ecossistemas produzidos na sua maioria fora dos seus perímetros. Os nossos espaços territoriais, por seu turno, precisam e exigem a conectividade (física e digital) aos mercados urbanos e globais. De modo articulado com a adoção de princípios e boas-práticas de circularidade associadas ao complexo sistema urbano-rural, impõe-se o investimento em investigação e consolidação da informação sobre as características do território, dos seus produtos identitários e das suas práticas. Numa visão circular dos territórios, áreas urbanas, áreas rurais e espaços naturais, estabelecem entre si fortes relações de dependência funcional, de complementaridade e cooperação.

Numa perspetiva de mudança, as atuais e potenciais relações urbano-rurais devem ser conhecidas, valorizadas e promovidas. Devem promover-se processos de planeamento participados e integrados, que incorporem os princípios da economia circular, bem como a implementação destes princípios através de soluções inovadoras de gestão territorial. Estas devem fomentar a equidade no acesso aos serviços de interesse geral, a afetação do solo rústico a atividades produtivas, a utilização sustentável e eficiente dos recursos naturais, o desenvolvimento de sistemas alimentares regenerativos, a oferta de produtos regionais frescos e autênticos, a gestão sustentável das florestas e dos solos e a preservação e recuperação dos serviços de ecossistemas e proteção da paisagem.

O Núcleo Tecnológico para a Sustentabilidade Agroalimentar (NUTRIR), agora instalado no nosso território, com orientação científica do CISAS – Centro de Investigação e Desenvolvimento em Sistemas Agroalimentares e Sustentabilidade do IPVC tem como missão a caracterização territorial, avaliação das potencialidades e condicionalismos das principais atividades agrícolas da região, a vitivinicultura e a produção animal numa perspetiva de investigação, desenvolvimento e qualificação para suporte à inovação empresarial, dinamização económica e promoção da sustentabilidade territorial. Partilhamos, município, IPVC e os demais parceiros a ambição de que o Nutrir cresça e tenha capacidade de abranger mais território e de uma colaboração mais musculada. Estamos atentos aos instrumentos financeiros recentes. Este núcleo resultou do trabalho persistente de muitos e teve o seu início na célebre discussão do alargamento dado alvarinho a toda a região dos verdes. Durante estes anos muitos estiveram envolvidos e deram o seu prestimoso contributo.

Vamos continuar a trabalhar na construção de um município mais moderno, ecológico, tecnológico e sustentável. Melgaço tem!

Acompanhe as nossas redes sociais e mantenha-se informado!

DESCUBRA MELGAÇO, o destino de natureza mais radical de Portugal.

Manoel Batista Calçada Pombal
Presidente da Câmara Municipal